saúde

Programa Bem Viver debate como demanda reprimida pela pandemia impactará o SUS

Maioria dos serviços do SUS reduziram atendimento. Maior queda foi no número de cirurgias, com diminuição de 53%

Ouça o áudio:

Na pandemia atendimentos relacionados ao sistema digestório reduziram 27,2% - Silvio Avila/Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Somado ao represamento temos as pessoas que ficaram com sequelas da covid-19

Agendamentos suspensos, consultas postergadas, exames adiados e complexos de saúde inteiros direcionados apenas para o tratamento da covid-19. Essa foi a realidade do Sistema Único de Saúde (SUS) durante os piores meses da pandemia do novo coronavírus, que exigiu prioridade máxima para o tratamento da doença, deixando para depois tratamentos menos graves. Especialistas alertam que essa demanda reprimida pode saturar o sistema e que é urgente o poder público se preparar para receber os pacientes.

“Muitas pessoas falavam que não estavam indo aos serviços de saúde por medo da pandemia. A gente também conhece muitos lugares que não estavam fazendo agendamento, tanto na atenção básica como nos serviços hospitalares”, disse o médico de família e comunidade Aristóteles Cardona, em entrevista ao podcast Covid-19 na Semana, repercutido na edição de hoje (15) do Programa Bem Viver. “Somado a esse represamento temos a covid-19 longa, que são as pessoas que ficaram com sequelas da doença e que precisarão de atendimento.”

Uma nota técnica divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na última terça-feira (9) aponta que houve diminuição de 1,7 milhão de internações por motivos não relacionados ao coronavírus, o equivalente a 10% do registrado antes da crise sanitária. A comparação foi feita entre os períodos de janeiro de 2018 a junho de 2019 e janeiro de 2020 a junho de 2021.

Com exceção da entrega de medicamentos, todos demais serviços prestados no SUS foram impactados, em especial as cirurgias, que tiveram redução de 53%. O número de pessoas internadas para tratar doenças respiratórias diminuiu 37,7%; os atendimentos relacionados ao sistema digestório reduziram 27,2%; e os tratamentos oftalmológicos caíram 34%. Também houve queda nos programas de promoção e prevenção em saúde e nos procedimentos clínicos.

Natal Sem Fome

O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) lançou a tradicional campanha de final de ano “Natal Sem Fome”. Trata-se de uma iniciativa que arrecada fundos para doar cestas de alimentos saudáveis para famílias em situação de vulnerabilidade social, para garantir um natal com fartura.

Mais uma vez, diversas celebridades apoiam a campanha e ajudam na divulgação das ações, como a cozinheira Bela Gil e a apresentadora Xuxa.

Quem quiser apoiar pode fazer transferência por pix, usando como chave o e-mail [email protected]

Mestre Moa

Um clipe emocionante lançado no final da semana passada presta homenagem ao Mestre Moa, um dos maiores capoeiristas do país e uma referência para diversos grupos culturais. O clipe é protagonizado pelo capoeirista Mestre Gafanhoto e por três blocos de São Paulo: Kaya na Gandaia, Juntos Venceremos e Amigos do Katendê.

No final de 2018, Mestre Moa foi covardemente assassinado por apoiadores do então candidato à presidência Jair Bolsonaro. A perda começa a ganhar um novo significado com as homenagens, que mostram como a força de Mestre Moa segue presente no meio da Capoeira e de outras expressões artísticas afro-brasileiras.

Caderneta Agroecológica

Uma tecnologia social desenvolvida por organizações voltadas ao direito das mulheres pretende sistematizar o trabalho realizado por elas nas zonas rurais do país. Trata-se da chamada Caderneta Agroecológica, uma planilha que organiza e deixa evidente o fluxo de produção. Nela fica contabilizado o que foi de consumo próprio, o que foi doado, foi vendido ou foi trocado.

Pra quem não tá acostumado ao trabalho rural pode parecer algo simples, mas quem vive da terra afirma ser uma mudança significativa. Isso porque a caderneta tem a função de não deixar que trabalhos fiquem invisibilizados, desconsiderados ou esquecidos. Agricultoras afirmam que se surpreenderam com a quantidade de atividades que fazem.


Confira os horários de transmissão do programa Bem Viver / Brasil de Fato

Sintonize

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Sarah Fernandes