violência

Polícia Civil conclui inquérito sobre esfaqueamento de jornalista da TV Globo em Brasília

Delegados encaminharam investigação à Justiça como tentativa de latrocínio

Brasil de Fato | Brasília (DF) |
Gabriel Luiz ainda se recupera do ataque em um hospital de Brasília; ele não corre mais risco de vida - Reprodução

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) concluiu, nesta segunda-feira (25), o inquérito que apura o esfaqueamento do jornalista Gabriel Luiz, 29 anos, repórter e editor da TV Globo em Brasília. O crime ocorreu no último dia 14 de abril, no bairro Sudoeste, na capital federal. Ele levou cerca de 10 facadas na região do abdômen, tórax, pescoço e braços.  

Segundo o delegado Douglas Fernandes, da 3ª Delegacia de Polícia, do bairro Cruzeiro, que investiga o caso, todas as testemunhas ouvidas reforçaram a tese de que o ocorrido foi uma tentativa de latrocínio.

Leia mais: Jornalista da Globo, Gabriel Luiz é esfaqueado e internado em estado grave em Brasília

O inquérito foi enviado ao Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), que vai definir se oferece denúncia aos autores do crime. Um tem 17 anos, está apreendido em uma unidade de internação para adolescentes e responderá por ato infracional. O outro envolvido é José Felipe Leite Tunholi, de 19 anos, que foi o autor dos golpes de faca. Ele está preso no Complexo Penitenciário da Papuda.

“Ouvimos no total 16 pessoas, inclusive a mãe do menino de 19 anos, que explicou a quantidade de euros que ele portava. Ela mostrou um recibo do montante comprado em 2020 para uma viagem para a Europa. Conseguimos comprovar a tese de latrocínio. Não houve nada que pudesse dar indício de outra coisa”, disse o delegado em coletiva de imprensa.

O delegado acrescentou que os acusados demonstraram arrependimento pelo crime. Em depoimento, eles afirmaram terem feito uso de rophynol, um medicamento benzodiazepínico, que pode causar alucinações.

“Amigos confirmaram que os dois usaram rophynol. O maior já foi internado três vezes por uso de drogas, e já foi expulso várias vezes de escolas no DF”, afirmou.

Depoimento de Gabriel

Antes de concluir o inquérito, o jornalista Gabriel Luiz foi ouvido por cerca de uma hora pelos delegados Douglas Fernandes e Peter Ranquetat, na tarde desta segunda-feira (25), no Hospital Brasília, no Lago Sul, onde permanece internado.

"Ele recorda que esses dois elementos teriam se aproximado dele e que ambos teriam, antes de qualquer agressão, teriam mencionado 'acabou' ou 'perdeu'. Gabriel não recorda exatamente qual palavra foi e que no momento seguinte, logo depois começaram as agressões com faca", afirmou Ranquetat.

:: Jornalista esfaqueado em Brasília segue em recuperação no hospital ::

O jovem confirmou que um dos assaltantes o segurou e o outro desferiu as facadas. Ainda segundo o delegados, Gabriel afirmou ter pedido aos agressores que levassem tudo e que parassem o esfaqueamento. Neste momento, um vizinho que presenciou o crime teria gritado da janela e os agressores fugiram.

Quadro de saúde

Desde que foi internado, Gabriel passou por diferentes cirurgias. Ele ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por cerca de cinco dias e depois foi transferido para um quarto. Ainda não há previsão de quando ele deverá ter alta, mas segundo a última atualização do hospital, o quadro de saúde evolui bem, com Gabriel já caminhando sozinho e se alimentando de comida pastosa.

Fonte: BdF Distrito Federal

Edição: Flávia Quirino