Eleições 2022

Denúncias de assédio eleitoral saltam de 447 para 706 em apenas 24 horas

Sudeste e Sul puxam a fila dos casos, com 284 e 212 registros

São Paulo | SP |
O empregador estará sujeito à punição pela Justiça Eleitoral e também pela Justiça do Trabalho - Arquivo / Agência Brasil

Divulgado nesta quarta-feira (19), boletim do Ministério Público do Trabalho (MPT) aponta um crescimento de 58% no número de denúncias de assédio eleitoral no Brasil em apenas 24 horas.

Continua após publicidade

Na última terça-feira (18), o órgão apontava que havia 447 casos de assédio eleitoral no país. Hoje, os casos saltaram para 706. Foram 259 novas denúncias em um dia.

O Sudeste registrou o maior número de denúncias, 284 casos. O Sul, que liderava a lista, agora contabiliza 212 ocorrências. Logo após estão Nordeste (118), Centro-Oeste (48) e Norte (44).

O assédio eleitoral fica configurado quando patrões usam a posição de empregador para coagir ou oferecer benefícios em troca de votos. Caso essa prática esteja acontecendo em seu trabalho, é possível fazer uma denúncia ao MPT, por meio do aplicativo MPT Ouvidoria.

É importante denunciar para que a prática seja restringida. O empregador estará sujeito à punição pela Justiça Eleitoral e também pela Justiça do Trabalho.

Edição: Glauco Faria