CRÉDITO RECORDE

Governo lança Plano Safra da Agricultura Familiar com R$ 77,7 bi em recursos

Programa vai destinar recursos à produção sustentável de alimentos, financiar mulheres e agricultores jovens

Brasil de Fato | Curitiba (PR) |

Ouça o áudio:

Agricultores familiares terão R$ 71 bilhões em crédito disponíveis para esta safra - Foto: FLD/Divulgação

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), Paulo Teixeira (PT), lançaram nesta quarta-feira (28) o Plano Safra da Agricultura Familiar. O programa destinará R$ 71,6 bilhões em crédito rural com juros baixos a pequenos produtores. Isso é 34% superior ao anunciado na safra passada e o maior valor histórica.

Continua após publicidade

Somadas todas as políticas para pequenos agricultores neste safra, o apoio do governo será de R$ 77,7 bilhões.

:: Brasil pode ter recorde na safra de grãos, mas área plantada de feijão e arroz diminuiu ::

O Plano Safra da Agricultura Familiar prevê ainda a redução da taxa de juros, de 5% para 4% ao ano, de empréstimos para quem produzir alimentos, como arroz, feijão, mandioca, tomate, leite, ovos, por exemplo. A ideia é contribuir com a segurança alimentar do país.

Agricultores que optarem pela produção sustentável de alimentos saudáveis, com foco em orgânicos, produtos da sociobiodiversidade, bioeconomia ou agroecologia, terão acesso a juros ainda menores: 3% ao ano no custeio e 4% ao ano no investimento.

Houve também mudanças no microcrédito produtivo, com aumento do limite de renda anual de agricultores familiares de baixa renda para acesso a crédito. O fomento produtivo rural, que é um recurso não reembolsável destinado aos agricultores em situação de pobreza, também foi corrigido: aumentou de R$ 2,4 mil para R$ 4,6 mil por família.

:: Com ministros e Gleisi, Festa da Colheita do MST celebra primeira safra de soja não transgênica ::

Mulheres rurais terão uma linha de crédito específica neste plano. Agricultores de povos indígenas e comunidades tradicionais passarão a ter acesso a recursos do programa.

O Plano Safra da Agricultura Familiar também recompõe o Programa Mais Alimentos, com medidas para estimular a produção e a aquisição de máquinas e implementos agrícolas. Ele tem o intuito de melhorar a qualidade de vida das agricultoras e agricultores familiares, aumentar a produtividade no campo e aquecer a indústria nacional.

:: Incentivadas por Bolsonaro, invasões "engolem" metade dos castanhais de indígenas no AM ::

Será criada ainda uma faixa de acesso exclusiva para a juventude ao Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), criando melhores condições para os jovens que querem viver no campo acessarem a terra.

O governo também assinou o novo decreto da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO) e anunciou o lançamento de um edital para a composição da Comissão da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (CNAPO), formada por membros da sociedade civil.

Para a Articulação Nacional da Agroecologia (ANA), a recriação da CNAPO "é uma importante vitória dos movimentos sociais". "Todas essas medidas apontam para o o fortalecimento da perspectiva agroecológica no país, uma vez que a agroecologia é um enfoque para a reestruturação dos sistemas alimentares, da produção ao consumo", declarou Flávia Londres, integrante da Secretaria Executiva da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA).

Na terça-feira (27), o governo anunciou o Plano Safra 2023/24, voltado ao agronegócio. Ele prevê crédito de R$ 364 bilhões para médios e grandes produtores.

Dados do Plano Safra da Agricultura Familiar 2023/2024

Total de R$ 77,7 bilhões para a safra 2023/2024

Pronaf: R$ 71,6 bilhões
Proagro Mais: R$ 1,9 bilhões
Garantia Safra: R$ 960 milhões
PGPM-bio: R$ 50 milhões
Assistência Técnica e Extensão Rural: R$ 200 milhões
Compras Públicas: R$ 3 bilhões / Programa de Aquisição de Alimentos (PAA/MDS), Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE/FNDE) e PAA Compra Institucional

Edição: Rodrigo Durão Coelho