Homenagem

Vereador propõe nomear de Zé Celso futuro parque no Bixiga, ao lado do Teatro Oficina em SP

Celso Giannazi do PSOL protocolou projeto de lei após morte de diretor em São Paulo

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Zé Celso - Carl de Souza/AFP

O vereador de São Paulo, Celso Giannazi (PSOL), protocolou um projeto que propõe a criação e o funcionamento do Parque Municipal do Rio Bixiga – Zé Celso Martinez Corrêa, nesta quinta-feira (6). 

Continua após publicidade

O projeto, que homenageia o diretor de teatro falecido nesta mesma data, prevê que o parque seja criado no terreno que ocupa a lateral e os fundos do Teatro Oficina Uzyna Uzona, na Rua Jaceguai, no bairro do Bixiga. O prédio do teatro foi projetado pela famosa arquiteta Lina Bo Bardi em 1992 e inaugurado no ano seguinte. 

Em 2010, o teatro foi inscrito no Livro do Tombo Histórico e no Livro do Tombo das Belas Artes, o que delimita o entorno como área de proteção visual. O terreno onde pode ser construído o parque, entretanto, pertence ao Grupo Silvio Santos desde a década de 1980, que já apresentou um projeto para construir três prédios de até 100 metros no local.  

A construção do parque, portanto, passa necessariamente pela negociação de uma desapropriação ou permuta com a Prefeitura de São Paulo. Porém, a partir do momento em que seja estipulado pelo governo municipal que o local deve ser destinado à criação de um parque, não é possível interferir no terreno. 

Durante anos, Zé Celso argumentou que a construção dos prédios do Grupo Silvio Santos prejudicaria as atividades do teatro, tornando-se um símbolo também na luta contra a especulação imobiliária no centro de São Paulo. 

O projeto de lei apresentado nesta quinta-feira (6) por Giannazi na verdade é substitutivo ao PL 877/2021, de autoria do vereador Eduardo Suplicy (PT), que já dispõe sobre a criação e o funcionamento do parque. O PL foi aprovado na Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa (CCJ), em novembro do ano passado, e agora está parado na Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente. 

Um outro projeto com o mesmo objetivo já havia tramitado na Câmara Municipal de São Paulo, mas foi vetado em 2020 pelo então prefeito em exercício Eduardo Tuma. 

O projeto de Celso Giannazi prevê que o parque seja destinado a “atividades relacionadas à cultura, à autogestão, à agroecologia, à educação ambiental e à promoção de práticas comunitárias que observem as necessidades específicas de mães e crianças frequentadores do parque”. 

O diretor de teatro conhecido como Zé Celso faleceu nesta quinta-feira (6), aos 86 anos de idade, em São Paulo. Ele foi internado e entubado, na terça-feira (4), no Hospital das Clínicas, após um incêndio atingir o seu apartamento no Paraíso, na Zona Sul da capital paulista.  

Leia mais: Artistas lamentam a morte de Zé Celso: 'Marcou a História do Brasil'

Edição: Rodrigo Durão Coelho