mobilidade urbana

Prefeito de Porto Alegre anuncia privatização da Carris, estatizada por Brizola em 1953

Estatizada nos anos 1950, empresa voltará ao controle da iniciativa privada

Brasil de Fato | Porto Alegre (RS) |
A prefeitura informou que as linhas serão entregues por um período de 20 anos - Foto: Leonardo Contursi

A mais antiga empresa de ônibus em operação no Brasil será entregue à iniciativa privada. Fundada no século 19, ainda no Brasil Império, pelo imperador Dom Pedro II, a Companhia Carris Portoalegrense, da capital gaúcha, será concedida pelo prefeito Sebastião Melo (MDB). Por duas vezes, em 1999 e 2001, a Carris foi considerada pela Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP) como a melhor empresa de ônibus urbano do país. 
    
Foi o que anunciou a prefeitura nesta terça-feira (26), ao informar que as linhas operadas pela Carris serão entregues por um período de 20 anos. Hoje, a empresa atende 22% do transporte coletivo de Porto Alegre. É uma sociedade de economia mista cujo controle acionário é da prefeitura.

Continua após publicidade

Relembre: Rodoviários da Carris seguem mobilizados contra privatização da companhia no RS


        
A decisão visa “potencializar o equilíbrio nos custos com o transporte coletivo para o município”, segundo a prefeitura. O decreto anunciando a desestatização foi publicado na terça-feira (25).  Quem obtiver a concessão ficará, além da frota, com o imóvel hoje ocupado pela Carris.
      
Em 1953, a Carris, então uma empresa privada estrangeira, controlada pela norte-americana Eletric Bond & Share, foi estatizada pelo governo Leonel Brizola. Com a estatização, a empresa passou a atender os trajetos que a iniciativa privada não tinha interesse em assumir.

:: Cobradora defende Carris pública e cobra auditoria séria para abrir a caixa preta do transporte ::
       
Hoje, a Carris atende cerca de 100 mil passageiros/dia através de sua frota composta por 315 veículos, sendo que 89% com equipamento de acessibilidade.
       
Nos planos da prefeitura, os atuais funcionários terão 12 meses de estabilidade após a concessão. A sessão para recebimento e abertura das propostas está marcada para 2 de outubro, sendo aberta a competidores internacionais. A proposta mínima é R$ 109 milhões.

:: Carris: empresa de transporte coletivo mais antiga do país sob risco de privatização ::

A privatização da Carris foi aprovada pela Câmara de Porto Alegre em setembro de 2021. Na ocasião, o projeto do governo Melo teve 23 votos favoráveis e 13 contrários. 


Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Katia Marko