debates e reflexões

Santiago do Chile recebe Conferência Regional Dilemas da Humanidade a partir deste sábado (2)

Evento reunirá mais de 100 representantes de países da América Latina e do Caribe para debater a crise internacional

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |

Ouça o áudio:

Evento na capital chilena reunirá representantes de partidos, movimentos e sindicatos de toda a América Latina e do Caribe - Divulgação

Representantes de movimentos populares, partidos políticos e sindicatos, além de intelectuais e artistas dos países latinoamericanos e do Caribe, se reúnem a partir deste sábado (2) em Santiago, capital do Chile, para a Conferência Regional Dilemas da Humanidade. O encontro se propõe a ser um espaço para pensar modelos de sociedade sem exploração e opressão dos povos.

Continua após publicidade

O evento vai reunir mais de 100 pessoas para discutir a crise global. Convocada pela Alba Movimentos (a sigla vem de Alternativa Bolivariana para a América) e pela Assembleia Internacional dos Povos, a conferência oferece um espaço para debates, reflexões e compartilhamento de informações entre os diferentes setores sociais. As atividades vão até a próxima segunda-feira (4).

Serão cinco temas principais: construção da soberania e unidade continental contra a dominação imperialista; dilemas e desafios para organização da classe trabalhadora na luta pelo socialismo; batalha da cultura e das ideias para construção de um projeto socialista; defesa dos bens comuns da vida e novas formas de se relacionar com a Mãe Terra; e a construção da democracia popular e protagonista para construir o socialismo.

A etapa regional no Chile segue uma sequência de eventos já realizados na África (em Bela Bela, África do Sul); América do Norte (Atlanta, Estados Unidos) e África (Túnis, Tunísia), além de atividades em outros países. As discussões regionais serão sistematizadas para serem apresentadas na 3ª Conferência Internacional Dilemas da Humanidade, que acontece em outubro em Joanesburgo, África do Sul.

Entre as lideranças com presenças confirmadas estão a cientista política Monica Bruckmann professora e coordenadora do Núcleo de Geopolítica, Integração regional e Sistema mundial da UFRJ; o historiador e jornalista Vijay Prashad, diretor-geral do Instituto Tricontinental de Pesquisa Social; e o sociólogo, professor e escritor argentino Atilio Borón.

A capital chilena recebe o evento no contexto do 50º aniversário do golpe de Estado contra o presidente socialista Salvador Allende. As atividades acontecem na Universidad Abierta de Recoleta. A programação completa, com dias e horários das atividades, está disponível aqui.

Edição: Thalita Pires