Conflito

1,7 mil brasileiros procuram ajuda da embaixada para deixar Israel

Missão do Irã na ONU disse que 'ação' do Hamas foi uma 'defesa plenamente legítima'

|
Itamaraty informou que as autoridades israelenses já autorizaram a entrada no país dos aviões da FAB - Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Pelo menos 1,7 mil brasileiros já procuraram a embaixada do Brasil em Tel Aviv em busca de ajuda para deixar Israel. Segundo o Ministério das Relações Exteriores informou nesta segunda-feira (9), em Brasília, a maioria dos candidatos à repatriação é formada por turistas que visitavam Tel Aviv e Jerusalém quando, no último sábado (7), o grupo Hamas, que governa a Faixa de Gaza, deflagrou um ataque contra o território israelense. Depois do ataque, seguiu-se uma forte reação militar israelense, que passou a bombardear a Faixa de Gaza.

Continua após publicidade

Em nota divulgada no início da tarde de hoje, o Itamaraty informou que as autoridades israelenses já autorizaram a entrada no país dos aviões que o governo brasileiro mobilizou para resgatar os brasileiros que precisarem de ajuda para deixar Israel.

Continua após publicidade

A primeira das seis aeronaves que serão empregadas na operação de repatriação dos brasileiros chegou esta manhã a Roma, na Itália, onde aguardava autorização para ingressar em território israelense. Um segundo avião - do mesmo modelo do primeiro (um KC-30 com capacidade para 230 passageiros) - deve partir da Base Aérea de Brasília ainda esta tarde, com destino a Tel Aviv.

Continua após publicidade

Prioridade

Continua após publicidade

Os brasileiros candidatos à repatriação serão distribuídos por grupos, em voos que acontecerão em datas que ainda serão definidas. Inicialmente, o Itamaraty vai priorizar o traslado dos residentes no Brasil que ainda não têm passagem aérea para regressar ao país.

O Itamaraty estima que cerca de 14 mil brasileiros vivem em Israel e outros seis mil moram na Palestina. Além disso, muitos turistas visitam a região, principalmente para conhecer locais considerados sagrados e participar de eventos.

Diante da reação israelense ao ataque do Hamas, o governo brasileiro desaconselha quaisquer deslocamentos não essenciais para a região. Em nota, o Itamaraty recomendou que todos os brasileiros que tiverem condições tentem deixar Israel e Gaza.

Os atletas profissionais de tênis em cadeira de rodas Leandro Pena, Ymanitu Silva e Daniel Rodrigues desembarcaram em Tel Aviv no sábado de manhã, poucas horas após o Hamas invadir o território israelense, dando início ao conflito.

Os três participariam do Israel Open, uma das etapas do Circuito Uniqlo Wheelchair Tennis Tour, que receberia alguns dos principais atletas da categoria, de segunda (9) a sexta-feira (13).

Surpreendidos pela escalada da violência na região, os três sequer deixaram o aeroporto de Tel Aviv, onde passaram a noite ao lado de milhares de pessoas que tentavam embarcar em um voo e deixar Israel. Só no domingo (8) eles conseguiram lugar em um voo para Bangcoc, na Tailândia, de onde devem regressar ao Brasil.

“Depois de 33 horas esperando aqui no aeroporto [de Tel Aviv], estamos aqui, dentro avião para embarcar para Bangcoc. Bora para casa”, comemorou Rodrigues, em um vídeo compartilhado nas redes sociais. “Bora! Chega.”, arremataram Pena e Silva.

Contatos

A Embaixada do Brasil em Tel Aviv está publicando, em seu site um formulário para inscrição de interessados nos eventuais voos de repatriação.

Os plantões consulares da Embaixada em Tel Aviv (+972 (54) 803 5858) e do Escritório de Representação em Ramala (+972 (59) 205 5510), com Whatsapp, permanecem em funcionamento para atender brasileiros em situação de emergência. O plantão consular geral do Itamaraty também pode ser contatado por meio do telefone +55 (61) 98260-0610.

O Escritório de Representação em Ramala, na Cisjordânia, segue em contato com os brasileiros na Faixa de Gaza e, tendo em conta a deterioração das condições securitárias na área, está implementando plano de evacuação desses brasileiros da região, em coordenação com a Embaixada do Brasil no Cairo.