Ouça e Assista

Tempero da Notícia: operação da PF mostra que, desta vez, militares não serão anistiados

Programa com o jornalista Rodrigo Vianna traz comentários sobre os principais acontecimentos políticos desta semana

Rodrigo Vianna é jornalista desde 1990. Durante sua trajetória, já passou pela Folha de S. Paulo, TV Cultura, Globo e Record - Willians Campos/ Brasil de Fato

A operação da Polícia Federal contra Jair Bolsonaro (PL), seus assessores e militares foi histórica. Foi a primeira vez que oficiais de alta patente (generais de quatro estrelas e um almirante) foram investigados pela justiça civil no Brasil por atentarem contra a democracia.

Continua após publicidade

Entre os generais, estão  Augusto Heleno, ex-chefe do Gabinete de Segurança, Walter Braga Netto, candidato a vice de Bolsonaro, Paulo Sérgio, ex-ministro da Defesa, além do ex-comandante da Marinha, Almir Garnier. 

Quando a ditadura militar acabou, em 1985, os militares foram anistiados e tiveram seus crimes perdoados pelo Estado brasileiro. Agora, no entanto, o inquérito autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, aponta indícios concretos de que os militares atuaram diretamente na tentativa de golpe.

Este é um dos destaques do Tempero da Notícia, programa produzido pelo Brasil de Fato, apresentado pelo jornalista Rodrigo Vianna.

Extrema direita tentou reagir

Grupos de extrema direita que apoiam Bolsonaro tentaram vitimizar-se, adotando tática parecida desde a operação de busca e apreensão contra o clã Bolsonaro - mais especificamente contra Carlos Bolsonaro.

O filho 02 do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-RJ) espalhou uma notícia mentirosa, de que a ação da Polícia Federal aconteceu como reação a uma manifestação pró-Bolsonaro que juntou pouco mais de 3 mil pessoas no litoral norte de São Paulo.

Na verdade, operações dessa grandeza são sempre planejadas com muitos dias de antecedência e após uma investigação profunda da PF, para corroborar fatos que integram uma delação premiada - neste caso, a do ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, Mauro Cid.

Cafezinho

O Cafezinho desta semana vai para os cientistas e médicos que atuam na linha de frente contra a dengue no Brasil e que precisam lidar, ao mesmo tempo, com discursos anticiência e antivacina usados mais uma vez se tornaram ferramenta politica.

Hoje, o Brasil vive uma epidemia de dengue em diversas regiões e que se tornaram mais graves no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo. São Paulo, inclusive, registrou a primeira morte por dengue esta semana, de um homem de 74 anos. 

O SUS decidiu adotar uma vacina de origem japonesa contra a dengue para algumas faixas etárias, especialmente para imunizar os mais jovens. Enquanto isso, governadores e parlamentares bolsonaristas fazem trabalho contrário.

Romeu Zema (Novo) e Jorginho Mello (PL) avisam que crianças podem frequentar aula mesmo sem vacina. Por isso, todo o nosso apoio ao SUS e à ciência brasileira, que novamente vão enfrentar o esforço para conter o avanço de uma doença e defender o cada vez mais óbvio.

Onde assistir

Tempero da Notícia vai ao ar todas as sextas-feiras, às 20h, no canal do Brasil de Fato no YouTube e na TVT, canal 44.1 – sinal digital HD aberto na Grande São Paulo e canal 512 NET HD-ABC.

Moradores do estado de São Paulo podem acompanhar o programa pela Rádio Brasil Atual (98,9 FM na Capital Paulista e 93,3 FM na Baixada Santista), nos mesmos horários.

As edições também estão disponíveis nas plataformas de podcasts e podem ser escutadas no DeezerSpotifyGoogle PodcastsItunes e Pocket Casts.

Edição: José Eduardo Bernardes