Reforma Agrária

MST ocupa latifúndio improdutivo no município de Tamboril (CE)

Na madrugada desta segunda (19), cerca de 150 famílias acamparam na fazenda São Pedro Pelado

Brasil de Fato | Fortaleza (CE) |
As famílias são provenientes de comunidades rurais dos municípios de Tamboril e Monsenhor Tabosa, além da sede da cidade de Tamboril. - Foto: Comunicação MST

Na madrugada desta segunda-feira (19), cerca de 150 famílias, organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ocuparam a fazenda São Pedro Pelado, no município de Tamboril, na região do Sertão de Crateús, a 300 quilômetros de Fortaleza.

Continua após publicidade

As famílias são provenientes de comunidades rurais dos municípios de Tamboril e Monsenhor Tabosa, além da sede da cidade de Tamboril. A fazenda, de propriedade de Pedro de Augusto Timbó, possui aproximadamente mil hectares de terra e já foi ocupada outras vezes pelo MST. A propriedade foi vistoriada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e aguarda a desapropriação pelo órgão.

Continua após publicidade

Leia também: Para MST, 2023 foi de retomada de governo democrático, mas de descompasso na reforma agrária

Continua após publicidade

O MST reivindica a desapropriação de diversas fazendas nos municípios de Tamboril e Monsenhor Tabosa. "Os municípios ainda têm muitas pessoas sem acesso à terra e muitas áreas sem cumprir sua função social, nesse sentido reafirmamos que enquanto morar, produzir e viver com dignidade forem privilégios, ocupar sempre será um direito", afirma Graça Luz, da direção do MST.

Continua após publicidade

"Estamos retomando essa ocupação que já aconteceu outras vezes e esperamos que dessa vez a gente conquiste e que essa terra passe a ser de quem realmente precisa, quem tá aqui tá querendo trabalhar, ter acesso a terra e condições para viver nela, pra produzir alimentos, garantir moradia e dignidade para quem vive no campo", relata Gilmara Araújo, acampada.

Para receber nossas matérias diretamente no seu celular clique aqui.

Fonte: BdF Ceará

Edição: Francisco Barbosa