Minas Gerais

Primeira cidade mineira da Caravana Lula pelo Brasil sofre com desemprego

Em 2016, 2.870 pessoas perderam emprego em Ipatinga (MG); ex-presidente falará sobre a questão em sua primeira parada

Brasil de Fato | Ipatinga

,

Ouça a matéria:

A vendedora Elivone procura emprego formal há um ano / Rute Pina

A principal preocupação de Brenda Santos Oliveira, de 21 anos, é o desemprego. Nesta segunda-feira (23), ela passou a manhã entregando o currículos em lojas e lanchonetes no centro de Ipatinga (MG). Mostrando alguns envelopes na mão, ela conta que procura emprego há três anos.

A cidade é a primeira que recebe o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na segunda fase da caravana Lula Pelo Brasil.

Em 2016, o município perdeu 2.870 postos de trabalho e o número de empresas fechadas em cresceu em 50% em relação a 2015. Ao todo, 555 empresas fecharam as portas no ano passado.

"Tá difícil, em Ipatinga, em Fabriciano [cidade da região do Vale do Aço]… A gente manda currículo e nada. As coisas estão muito difíceis para emprego. Se a pessoa não tiver experiência e indicação, ela não consegue, é bem difícil mesmo", disse Brenda.

Ela, que não apoia nenhum partido político, tem a percepção que o desemprego aumentou com a entrada de Michel Temer (PMDB) na Presidência. O país ganhou cerca de 2,6 milhões de novos desempregados no primeiro ano do governo golpista de Temer.

A recessão econômica foi sentida no município, que já passava por crise por conta da situação crítica da Usiminas - a economia da cidade se estruturou em torno da usina siderúrgica. Em 2006, Ipatinga exportava 577,3 milhões de dólares por ano. O valor foi reduzido em 70,6% em dez anos, chegando a 169,8 milhões de dólares em 2016.

Há quase um ano, Elivone, de 28 anos, vende picolés nas mediações da Praça dos Três Poderes, enquanto procura em sua área. Ela conta que aumentou o número de pessoas trabalhando informalmente.

"Realmente, está tendo muito ambulante porque não está tendo uma área boa para trabalhar aqui e a redução de salários está muito grande", lamenta a vendedora.

Ela acredita que o principal desafio para as próximas eleições presidenciais é a retomada dos direitos sociais e trabalhistas retirados no último período. Ela desaprova, por exemplo, as mudanças feitas na legislação trabalhista sancionada em julho deste ano.

"Eu não acho essa lei boa não porque esses direitos que a gente conseguiu foram muito difícil de conseguir. O trabalhador não pode perder o direito dele porque esse negócio da gente trabalhar e não ter seus direitos é um trabalho escravo" 

Caravana

No início da manhã, um palco que vai receber o ex-presidente Lula já estava montado em frente à prefeitura de Ipatinga. O tema do desemprego será foco do discurso do petista. A cidade de quase de 260 mil habitantes é considerada "berço" do partido. Lula esteve pela primeira vez na cidade em 1979.

Marcos Alves, militante do Partido dos Trabalhadores há 22 anos, recorda que esteve presente na última visita de Lula à Ipatinga. Na ocasião, ele tinha 15 anos: "Na época eu estava aqui, nessa mesma praça. Aqui estava lotado, cheio mesmo. A última vinda do Lula aqui ficou na história e agora vai ficar mais ainda", conta Alves. 

Nesta segunda, o ex-presidente faz um ato em defesa da soberania no centro da cidade para marcar o início da segunda fase da caravana pelo país. Na primeira edição, o petista percorreu todos os estados do nordeste. Desta vez, com cronograma mais enxuto, ele vai visitar 12 cidades mineiras em oito dias.

A equipe do Brasil de Fato está acompanhando minuto a minuto a caravana de Lula em Minas Gerais.

* A cobertura da caravana "Lula pelo Brasil" é realizada por meio da parceria entre Brasil de Fato, Mídia Ninja e Jornalistas Livres

Edição: Mauro Ramos