Soberania

Roger Waters denuncia golpe dos EUA contra a Venezuela

Músico, conhecido por seus posicionamentos políticos à esquerda, denunciou o interesse dos EUA no petróleo venezuelano

"Deixe o povo venezuelano em paz", escreveu Waters em sua conta no Twitter / Foto: Divulgação

Roger Waters, um dos músico mais influentes da atualidade, usou sua conta do Twitter na noite de domingo (3) para denunciar o golpe em curso na Venezuela, capitaneado pelos Estados Unidos, e saiu em defesa do povo venezuelano e de seu presidente, Nicolás Maduro.

:: Leia mais: O que está acontecendo na Venezuela? ::

“Deixe o povo venezuelano em paz. Eles têm uma democracia real. Parem de tentar destruí-la para que 1% possa explorar o óleo. Estados Unidos, fiquem fora disso!”, escreveu o ex-baixista do Pink Floyd.

A note from Roger:



THIS IS TODAY!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



STOP THIS LATEST USG INSANITY, LEAVE THE VENEZUELAN PEOPLE ALONE. THEY HAVE A REAL DEMOCRACY, STOP TRYING TO DESTROY IT SO THE 1% CAN PLUNDER THEIR OIL.



US HANDS OFF #VENEZUELA! #NICOLASMADURO #STOPTRUMPSCOUPINVENEZUELA pic.twitter.com/AFi89IGcgV


— Roger Waters (@rogerwaters) 3 de fevereiro de 2019


A declaração do músico veio em meio a uma crise política e econômica na Venezuela, que se acentuou após a posse de Maduro, no mês passado. Os Estados Unidos, que vêm sufocando o país sul-americano financeiramente, não reconheceu a vitória do atual presidente e vêm apoiando a oposição, cujo novo líder, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente na última semana.

Guaidó foi reconhecido, além dos EUA, por países como Argentina e Brasil. Rússia, China e Turquia, entre outros, seguem reconhecendo Maduro como presidente legítimo da Venezuela.

Direita decepcionada

Antes de decepcionar a direita venezuelana e norte-americana, Rogers irritou parte da direita brasileira quando, no ano passado, fez uma turnê no Brasil em que trazia em seus shows projeções de imagens que associavam o então candidato à presidência Jair Bolsonaro ao neofascismo mundial.

Em outubro, o músico disparou: “Bolsonaro é louco, vingativo e insano”

 

Edição: Revista Fórum