mineração

Oito funcionários da Vale são presos por suspeitas de fraude nos laudos de Brumadinho

Ação ocorreu em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro para apurar responsabilidades no crime de Brumadinho

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Entre os presos estão colaboradores da TUV SUD, a empresa responsável pelos relatórios que atestaram a estabilidade da barragem / Douglas Magno / AFP

Oito funcionários da Vale foram presos, nesta sexta-feira (15), em uma operação realizada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG). A ação ocorreu nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, e busca apurar suspeitas de fraude nos laudos da segurança da barragem que se rompeu em Brumadinho (MG).

As prisões dos funcionários da mineradora fazem parte da investigação que busca determinar os responsáveis pelo crime do último dia 25 de janeiro. Até o momento, 166 mortes já foram confirmadas pelas autoridades mineiras e outras 155 pessoas seguem desaparecidas, em consequência do rompimento da barragem que liberou milhares de litros de lama. As buscas continuam na área atingida.

Os funcionários presos preventivamente exerciam cargos técnicos e gerenciais na empresa. Além disso, 14 mandatos de busca e apreensão foram executados pelo Ministério Público, em coordenação com as polícias Civil e Militar. Entre as prisões, estão colaboradores da TUV SUD, a empresa responsável pelos relatórios que atestaram a estabilidade da barragem. Estão sendo investigados, além do crime ambiental, homicídio qualificado e falsidade ideológica. 

Em nota, a Vale afirmou que “está colaborando plenamente com as autoridades e permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos, junto ao apoio incondicional às famílias atingidas”.

Nos primeiros dias após a tragédia, dois engenheiros da empresa TÜV SÜD e três funcionários Vale foram presos, também como parte da investigação. Eles foram liberados, no dia 5 de fevereiro, por determinação do Tribunal de Justiça. A prisão partiu da constatação de que os profissionais haviam atestado a segurança da barragem da Mina do Feijão.

Drama em Brumadinho

Além de sintomas imediatos, a lama tóxica pode trazer problemas futuros à saúde para quem teve contato com o barro e para as comunidades no entorno. Rejeitos de mineração contêm óxido de ferro, amônia, sílica, silte e argila. Já barragens antigas podem ter elementos tóxicos, como arsênio.

A água é outro elemento de temor entre os moradores e os trabalhadores da saúde. As pessoas que tiveram contato com a lama que invadiu a cidade de Brumadinho, após o rompimento da barragem da mineradora Vale, já começam a apresentar sintomas de intoxicação.

Edição: Tayguara Ribeiro