Diplomacia

Rússia pede diálogo para evitar intervenção estrangeira na Venezuela

Durante visita da vice-presidenta venezuelana ao país, líderes russos alertaram para ingerência dos EUA

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Vice-presidenta venezuelana, Delcy Rodríguez, e chanceler russo, Serguei Lavrov, concedem entrevista coletiva após encontro na sexta (1) / Foto: Kirill Kudryavtsev/AFP

Durante visita da vice-presidenta da Venezuela, Delcy Rodríguez, à Rússia, líderes russos reafirmaram o apoio ao governo de Nicolás Maduro e reiteraram a necessidade de se encontrar uma solução pacífica para a crise política na Venezuela.

Rodríguez se reuniu com o chanceler russo, Serguei Lavrov, para discutir as medidas dos Estados Unidos com relação à Venezuela.

“A provocação e a influência externa destrutiva, ainda que sob o pretexto hipócrita da ajuda humanitária, não têm nada a ver com o processo democrático”, declarou Lavrov em um comunicado do Ministério das Relações Exteriores russo.

O chanceler prometeu intensificar as parcerias bilaterais entre o governo russo e o venezuelano, e disse que a Rússia está pronta para realizar reuniões com os EUA para discutir a situação política da Venezuela. Ainda na última sexta-feira (1), Rodríguez anunciou a decisão do governo venezuelano de levar o escritório europeu da empresa estatal petroleira da Venezuela (PDVSA) para Moscou.

Medvedev

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, também se manifestou sobre as reiteradas declarações dos EUA contra o governo eleito de Nicolás Maduro e declarou que a Rússia apoia os esforços para impulsionar o diálogo entre o governo e a oposição venezuelana.

“A Rússia se pronuncia contra qualquer ingerência nos assuntos internos de outros países”, afirmou ao periódico búlgaro Trud, segundo a TeleSur.

O premiê russo também expressou preocupação pelas declarações dos EUA sobre uma possível intervenção militar na Venezuela, afirmando que os governos latino-americanos devem se atentar a essa ofensiva “independentemente de sua postura quanto ao governo de Nicolás Maduro”.

Presidenta do Senado

A vice-presidenta venezuelana também se reuniu com a presidenta do Senado da Rússia, Valentina Matvienko, que afirmou no domingo (3) que o governo russo tomará as medidas possíveis para evitar uma intervenção estrangeira no país latino-americano.

"Temos muito receio que os Estados Unidos possam encenar qualquer provocação para causar derramamento de sangue e encontrar uma razão e um pretexto para uma intervenção na Venezuela. Mas faremos o possível para evitar isso", afirmou Matvienko.

::: O que está acontecendo na Venezuela? :::

A senadora disse ainda que "a Rússia sente empatia com o que está acontecendo na Venezuela, se solidariza com o povo da Venezuela e apoia o governo legítimo [de Nicolás Maduro] na sua luta pela soberania e independência do país".

Segundo Matvienko, a crise venezuelana, que ganhou proporções maiores após o deputado de direita Juan Guaidó se autoproclamar presidente interino do país no dia 23 de janeiro, foi criada artificialmente pelos EUA e só pode ser resolvida com diálogo por uma via pacífica, incluindo todas as forças políticas. “O povo venezuelano tem o direito de decidir seu presente e seu futuro", declarou.

*Com Opera Mundi e TeleSur

Edição: Aline Scátola