LEITURA

Livro reúne contos de realismo fantástico inspirados no governo Bolsonaro

Obra do escritor Fabio Shiva foi lançada em pleno carnaval e está disponível para download gratuito

Brasil de Fato | Porto Alegre (RS) |
bolsonaro carnaval recife
"Para lidar com os horrores do obscurantismo que assola o país, mais do que nunca é preciso das luzes da arte", afirma Fabio Shiva - Leo Malafaia/AFP

Está disponível gratuitamente nas plataformas digitais o livro “Tanto tempo dirigindo sem ninguém no retrovisor: contos da Era Bolsonaro”, do escritor, músico e produtor cultural Fabio Shiva. Os contos de literatura fantástica nascem de uma perplexidade comum a milhões de brasileiros: como é que Bolsonaro foi eleito? Como é possível que, depois de tantos absurdos, ainda tenhamos parentes e amigos apoiando fanaticamente o governo? O que aconteceu com essas pessoas? O que aconteceu com o Brasil?

Lançado pela Caligo Editora em pleno carnaval 2020, o livro impresso pode ser adquirido na Amazon a R$20, enquanto a versão para Kindle fica por R$ 4,35.Também está disponível para leitura online no Wattpad.

Quem preferir fazer o download gratuito do PDF, pode acessar o Recanto das Letras.


Autor e detalhe da capa do livro / Divulgação

"Para lidar com os horrores do obscurantismo que assola o país, mais do que nunca é preciso das luzes da arte", afirma Fabio Shiva.

É assim que a Literatura Fantástica surge como uma resposta lúdica e inesperada diante de mesquinhas realidades. Nas oito histórias reunidas no livro, o autor explora oito pontos desse "grande enigma brasileiro":

Será que o bolsonarismo surgiu de uma epidemia cósmica? - “O ódio que veio do espaço”

Ou será tudo parte de um audacioso plano traçado na espiritualidade? - “Acima de todos”

Será que isso implica no fim do mundo como o conhecemos? - “A espera”

Como será o futuro dominado pelas Fake News? - “Notícias da Democracia”

E o que aconteceria se ninguém mais pudesse mentir? - “Verdade e Consequência”

“Que essas e outras incômodas perguntas aqui apresentadas possam fortalecer os leitores em seu processo de resistência vital contra o culto generalizado da morte: a morte da natureza, a morte da educação e da cultura, a morte da diversidade, do respeito e de tudo o que nos faz ter orgulho de sermos brasileiros", afirma Fabio, que completa: "Contra as trevas da ignorância, salve a nossa Literatura!”

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira e Rodrigo Chagas