Saúde

Casos de covid-19 em São Paulo podem dobrar até o fim de junho, estima governo

Projeção apresentada nesta quarta-feira (3) diz ter levado números em consideração para plano de reabertura da economia

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Em entrevista coletiva, governo mostra mapa da reabertura - Governo do Estado de São Paulo/ Divulgação

O governo de São Paulo trabalha com a possibilidade de que o alcance da covid-19 mais que o dobre até o dia 30 de junho. Segundo projeções divulgadas nesta quarta-feira (3), o número de casos confirmados pode saltar para até 265 mil este mês. Desde o início da pandemia, o estado contabiliza 8.276 mortes e 123.483 pacientes infectados.

Continua após publicidade

Somente no mês de abril, o total de casos registrados saltou de pouco menos de três mil para mais de trinta mil. Em maio os números chegaram a 118 mil. Na terça-feira (2) os registros de mortes e infecções foi o maior observado desde a chegada do vírus à região.

Ainda assim, a gestão estadual dará seguimento ao processo de flexibilização do isolamento em algumas regiões. O vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM), afirmou que "não há surpresa nos números apresentados e eles fazem parte desse planejamento na área da Saúde". 

Doria inicia reabertura em SP no pico da pandemia; Covas mantém quarentena até dia 15

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social informou que os momentos de abertura do comércio devem ser alternados com novos períodos de medidas mais restritivas. Já foram identificadas regiões que na semana passada tiveram abertura parcial do comércio e que precisarão retomar o isolamento. Um exemplo citado foi a cidade de Bauru. Há casos também em que o distanciamento poderá ser relaxado nas próximas semanas, como a Baixada Santista. 

Na capital, a abertura do comércio segue com restrições. Continuam proibidos eventos esportivos, teatros, cinemas, espaços públicos de lazer, entre outros. Pelo segundo dia consecutivo, a cidade registrou ocupação de leitos de UTI abaixo de 70%. Se o índice baixar ainda mais, a cidade pode adotar medidas de isolamento menos rígidas.

Desde que Doria anunciou reabertura, SP registrou 25 mil novos casos de covid-19


Mapa do Plano São Paulo no dia 03/06 / Governo do Estado de São Paulo/ Divulgação

De acordo com o governador João Dória (PSDB) o Ministério Público será acionado caso prefeitos adotem medidas que desobedeçam ao plano estipulado pelo governo do estado. 

"São Paulo não liberou geral. A retomada da economia será feita de forma gradual e amparada na ciência. Nenhuma medida será tomada por pressão de quem quer se seja.” 

Pior momento da pandemia no Brasil ainda está por vir, afirma diretor da OMS

Proibição de cortes

Nesta quarta-feira, o governo anunciou também que foi adiado o fim do período em que não podem ser cortados serviços de água, luz e gás para a população de baixa renda. Por meio de um acordo com as concessionárias, até 31 de julho, o fornecimento será obrigatoriamente garantido, mesmo para quem está inadimplente.  

Edição: Rodrigo Chagas