Foi 17, né?

Contra negacionismo, rapper lança: "Eu Sei o Que Vocês Fizeram Nas Eleições Passadas"

Artista Amaro lança música e clipe denunciando omissão do governo Bolsonaro frente à pandemia

Ouça o áudio:

Além de rapper, Amaro também artista plástico, tatuador e ilustrador - Arte: Amaro
Amaro é mais um dos brasileiros que não consegue aceitar a atitude negacionista de Bolsonaro

Todo fim de tarde, quando o número de mortes por covid no Brasil era anunciado, o rapper Amaro se indignava em sua casa. Era mais uma das preocupações do artista, morador do bairro Samambia, localizado na periferia de Brasília (DF), que passa por dificuldades financeiras por estar sem show marcado e, consequentemente, sem renda.

Continua após publicidade

:: Homem, idoso e cardiopata: o perfil mais comum entre as 100 mil vítimas da covid-19 ::

Continua após publicidade

Amaro é mais um dos brasileiros que não consegue aceitar a atitude negacionista do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) diante da pandemia do coronavírus.

Continua após publicidade

Continua após publicidade

No entanto, o artista conseguiu canalizar toda sua indignação para seu processo criativo, e durante o período de isolamento foi capaz de criar uma nova música acompanhada do clip: "Eu Sei o Que Vocês Fizeram Nas Eleições Passadas".

:: Prefeitos combatem discurso de Bolsonaro para chegar a bons resultados contra a covid ::

O rap foi feito para pontuar todas as atitudes que o artista considera que Bolsonaro foi responsável pelo Brasil passar de 100 mil mortes. Para Amaro, é função da arte registrar o momento

:: Câmara de João Pessoa repudia Chico César por letra crítica a apoiadores de Bolsonaro :: 

"Pra mim a arte sempre foi política, e eu encaro a arte sempre como um processo de oposição. E tem uma frase da Nina Simone que eu guardo para a alma enquanto artista ‘o dever do artista é refletir o seu tempo’. E passar por esse período, sem fazer essa reflexão, para mim seria um processo de omissão."

Tinta e papelão 

Por conta da pandemia, o artista cancelou todos os seus shows e teve sua renda significativamente reduzida. Porém, mesmo com poucos recursos, Amaro não se intimidou em produzir o clip para sua nova composição. Usando materiais de sua casa montou o cenário inteiro, incluindo o seu figurino. 

:: "Para as pessoas saírem da bolha", defende autor de HQ sobre vida de Marighella ::

O artista conta que a inspiração do conceito do clip veio da obra Guernica, de Pablo Picasso.

"Eu sempre trabalho com a música pensando nela visualmente, por ter esse lance de trazer todas essas referências de história da arte e tal. Automaticamente eu só refleti sobre o que é a música, do que se trata essa música e historicamente qual é a obra de arte que eu acho que consegue dialogar com essa produção. Na hora eu lembrei de Guernica, porque Guernica era uma obra que denunciava os horrores da guerra, era uma denuncia ao fascismo."

:: Cineclubes: espaço de debate, política e amor pelo cinema ::

Picasso pintou a obra em 1937, em meio à Guerra Civil Espanhola. O quadro denúncia o bombardeio comandado pelo General Franco com auxílio de forças nazistas na Vila de Guernica. 

Amaro defende que é dever do artista registrar o que está acontecendo no momento. Ele cita uma frase de Nina Simone para dimensionar a importância de usar a arte como denúncia. 

:: Feito com lama de Brumadinho, mural em SP homenageia trabalhadores mortos ::

"Pra mim a arte sempre foi política, e eu encaro a arte sempre como um processo de oposição. E tem uma frase da Nina Simone que eu guardo para a alma enquanto artista ‘o dever do artista é refletir o seu tempo’. E passar por esse período, sem fazer essa reflexão, para mim seria um processo de omissão."

*Adriellly Marcelino com supervisão de Lucas Weber

Edição: Lucas Weber