FOI HOJE

Família de palestino radicado no Brasil é morta em bombardeio na Faixa de Gaza

'Não sei quantas crianças têm de morrer para parar essa guerra', afirmou Rabee à imprensa

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Registro dos escombros de um prédio atacado por Israel em Khan Yunis, na Faixa de Gaza, em 17 de outubro de 2023. - Mahmud Hams/AFP

A família do palestino-brasileiro Hasan Rabee foi morta em um bombardeio no norte do território, de acordo com a Embaixada do Brasil na Palestina, nesta sexta-feira (20). Rabee, de 30 anos, faz parte de um grupo de 26 brasileiros que estão no sul de Gaza esperando para retornar ao Brasil. 

Continua após publicidade

Seu primo, a esposa e todos os filhos e netos do casal foram atingidos por um ataque aéreo no prédio em que moravam. "Teve um bombardeio perto da casa deles, e o prédio inteiro foi destruído. Era um cidadão do bem, trabalhador, não tem nada a ver com isso. Não sei nem quantas crianças têm de morrer para parar essa guerra e os ataques contra civis aqui na Faixa de Gaza", disse Hasan Rabee em entrevista à GloboNews. 

Continua após publicidade

:: Ataque de Israel atinge igreja ortodoxa em Gaza onde famílias se refugiavam e causa 18 mortes, segundo autoridades palestinas ::

Continua após publicidade

Rabee é naturalizado brasileiro e trabalha como vendedor na cidade de São Paulo há 10 anos, desde que resolveu deixar a Palestina por causa dos conflitos com Israel. Há 12 dias, ele havia chegado à Faixa de Gaza para visitar a família. Viajou com as duas filhas brasileiras, de três e seis anos, e com a esposa, também brasileira.  

Continua após publicidade

“Um dia estava na casa da minha mãe e houve um bombardeiro do lado. Com isso, a gente teve que sair. Outro dia na casa da minha irmã, outro na casa do meu sobrinho. É assim que funciona. A gente está correndo de um lado para outro que nem doido”, afirmou à Rede Brasil Atual.

No total, o ataque resultou em 60 mortes. Entre quinta-feira (19) e esta sexta (20), cerca de 350 pessoas morreram na Faixa de Gaza. Desde o dia 7 de outubro, quando Israel iniciou uma resposta à ofensiva grupo palestino Hamas, 4.137 pessoas morreram em Gaza, segundo as autoridades do território. 

:: Cuba condena o veto dos EUA à resolução do Brasil no Conselho de Segurança e pede ajuda humanitária para Gaza ::

Após 12 dias de guerra no território palestino, dados da Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que os moradores da Faixa de Gaza têm acesso a apenas 3 litros de água por dia, 6% do mínimo necessário. De acordo com a própria ONU, cada pessoa necessita de 50 a 100 litros de água, por dia. 

Israel encerrou o fornecimento de água na região em 7 de setembro. Na Faixa de Gaza vivem 2,5 milhões de palestinos, em uma área de 300 quilômetros quadrados. A ONG Action Against Hunger emitiu um alerta para a falta de água na Faixa de Gaza. De acordo com a entidade, os palestinos estão próximos de "uma crise de saúde à beira da explosão." 

Edição: Rodrigo Durão Coelho