Carnaval

Escolas de samba de Curitiba levam para avenida a pauta de valorização da arte e cultura

A programação dos desfiles começa no próximo dia 10, na rua Marechal Deodoro

Curitiba |
Ensaio da Escola de Samba Acadêmicos da Realeza, na Sociedade Morguenau - Divulgação

Depois de um intenso pré-carnaval na cidade, que já teve fama de não gostar de carnaval, Curitiba promete mais festa, agito e samba no pé na Marechal Deodoro, avenida oficial dos desfiles das escolas de samba da capital paranaense.

Continua após publicidade

A programação, organizada pela prefeitura, começa com o desfile do grupo especial marcado para o sábado (10/2). Os desfiles do grupo de acesso acontecem no domingo (11/2).

O Brasil de Fato Paraná conversou com representantes de diferentes escolas de samba que irão participar do desfile para saber do que o carnaval de Curitiba vai falar. Diferente de 2023, quando os temas focaram a crítica política, neste ano as escolas cantarão sobre arte, cultura, representatividade, fatos históricos e, principalmente, o próprio carnaval.

Curitiba tem Carnaval

Segundo Ricardo Garanhani, carnavalesco da Mocidade Azul, campeã de 2023, a tradição da escola foi sempre a de falar de Curitiba e sua cultura. Para desmistificar de uma vez por todas que a capital não tem tradição carnavalesca, a escola conta em 2024 a história do carnaval curitibano com o tema Da Vila Tassi ao Fazendinha.

"Se a gente não conta a nossa história, quem conta? A gente acredita que fazer carnaval é acima de tudo fazer cultura. A partir disso a gente pegou aquele falso clichê de que Curitiba não tem carnaval, que chega a ser um desrespeito com as pessoas que fazem o carnaval aqui em Curitiba. Ele existe sim e tem uma história bonita! Então, a partir desse clichê, a gente resolveu brincar com essa história e provar que carnaval existe e ao mesmo tempo homenagear essas pessoas que fizeram o carnaval de Curitiba, mesmo com todo esse desrespeito, com todas essas brincadeiras, seguiram firmes e resistentes nessa festa que é uma festa popular", explica.


Escola de Samba Mocidade Azul / Divulgação

Zumbi dos Palmares

Já a Acadêmicos da Realeza falará sobre a importância de Zumbi dos Palmares. "A gente fala sobre essa história no passado e sobre o hoje, sua representatividade e a influência na arte, cultura e no samba. Também falamos sobre a mulher negra, com relação à Dandara, e aqui também falamos sobre a escravidão", explica Alex de Souza, compositor responsável pelo samba enredo Ecos de Zumbi.

Histórias do Café

O carnaval de Curitiba também terá na avenida a história do café e sua impactante chegada no solo brasileiro. A Enamorados do Samba apresenta o samba-enredo Café: rotas de ricas histórias, cultura e desenvolvimento.

"Em um mergulho profundo, vamos explorar na música e no desfile a trajetória dessa bebida que se tornou parte do cotidiano do brasileiro. O cultivo do café trouxe riqueza para o Brasil, mas essa prosperidade foi construída sobre os ombros dos que foram subjugados pela escravidão. Então, levaremos todos os lados desta história", explica Jotta Matriz, responsável pela comunicação da escola.


Escola de Samba Enamorados do Samba / Divulgação

Waldir Azevedo, o choro e o cavaquinho

A escola de samba Leões da Mocidade traz a comemoração pelo centenário de Valdir Azevedo, músico e compositor brasileiro, mestre do cavaquinho e autor dos choros Brasileirinho, Delicado e Pedacinhos do Céu.

O presidente da escola, Wilson Paulino, diz que este tema tem muito a ver com a importância de se valorizar os artistas brasileiros. "Ele, além de compositor destas memoráveis obras, foi também responsável em dar protagonismo ao instrumento cavaquinho, levando para os palcos e rodas de música. Antes dele, era um instrumento que complementava as obras", explica.

Os foliões poderão assistir na avenida a toda a história do choro começando no Rio de Janeiro com parcerias de Villa-Lobos, Pixinguinha e outros nomes. O samba enredo chama-se Brasileirinhos, vem cantar meu samba enredo! 100 anos do mestre Waldir Azevedo.

Grupo de acesso

A campeã do grupo de acesso em 2023, a escola de samba Deixa Falar contará a história do carnaval no Brasil com o tema Desde que o samba é samba, é assim. Já a Embaixadores da Alegria, que completa 76 anos na avenida, vem com samba enredo Segunda abolição inexistente, o sangue é vermelho para todos para falar sobre a luta do povo negro.

Zé Pilintra, uma das entidades representativas do culto afro-brasileira, será o homenageado no samba da Imperatriz da Liberdade. E, por fim, a escola Os Internautas traz o samba enredo Arriba México, foi sem querer querendo, falando sobre a cultura mexicana.


Escola de Samba Leões da Mocidade / Divulgação

Confira a programação dos desfiles das Escolas de Samba de Curitiba na Rua Marechal Deodoro

Dia 10 de fevereiro

Grupo Especial

20h – Deixa Falar

21h – Imperatriz da Liberdade

22h20 – Enamorados do Samba

23h30 – Acadêmicos da Realeza

00h40 – Mocidade Azul

 

Dia 11 de fevereiro

Grupo Acesso

22h20 – Embaixadores da Alegria

23h10 – Leões da Mocidade

00h00 – Os internautas

Fonte: BdF Paraná

Edição: Pedro Carrano