Homenagem

Memória | Fidel Castro, legado de resistência

Força e energia da luta do comandante-chefe da Revolução Cubana, que mudou a vida da ilha caribenha, segue inspirando

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Cubanos lotam a Praça da Revolução, em Havana, para o adeus ao comandante Fidel Castro / Ladyrene Pérez/ Cubadebate

Nascido em 1926, o comandante-chefe de Cuba, Fidel Castro, faleceu no dia 25 de novembro de 2016. Reviver o legado e a trajetória do responsável pela Revolução Cubana é a proposta do livro "Fidel e a Revolução", que foi lançado pela editora Expressão Popular, no início deste mês.

A proposta do livro é, por meio das palavras de Fidel, recapitular a Revolução e o papel do comandante; compreender o que efetivamente é um processo revolucionário em todo seu conteúdo e variáveis; além de discorrer sobre o aprendizado que o contexto histórico daquela época representa para todas as lutas em desenvolvimento no país. 

Judite Santos é historiadora, membro do coletivo de Relações Internacionais do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e uma das responsáveis pela compilação dos discursos de Fidel para o livro.

Para ela, os ensinamentos da trajetória de Fidel continuam vivos até os dias de hoje. "O heroísmo do povo cubano fornece essa mística necessária pra gente seguir buscando cada vez mais e entender o processo da revolução cubana, inclusive, no processo de resistência das lutas latinoamericanas. Acho que a Revolução Cubana tem muito a nos ensinar, principalmente no nosso contexto atual, do nosso continente, do nosso país, o caso do Brasil, de ofensivas da direita", diz Santos. "Fidel traz muita energia, muita inspiração pra gente seguir lutando e construir a nossa revolução desde as nossas trincheiras", enfatiza ela, que também foi brigadista e morou na ilha caribenha durante três anos. 

Se vivo, Fidel completaria 91 anos este ano. Para lembrar de sua trajetória, o Brasil de Fato também resgata alguns conteúdos. Confira!

> Sobre o comandante Fidel Castro

Cubanos começam a fazer homenagens póstumas a Fidel

> Papa e líderes mundiais homenageiam Fidel Castro; Cuba terá luto oficial de nove dias

Conheça a Rádio Rebelde, emissora clandestina criada por Che e Fidel em 1958

*Colaboração de Norma Odara.

 

Edição: Simone Freire