Programa de rádio

Programa Bem Viver tira dúvidas sobre a vacinação emergencial no Brasil

Edição adentra questões como quantidade de imunizantes disponíveis e situação de vacinação para gestantes e crianças

Ouça o áudio:

Boa parte do país já recebeu doses das vacinas para uso emergencial
Boa parte do país já recebeu doses das vacinas para uso emergencial - Marcello Casal Jr/Agência Brasil
A CoronaVac é segura. Os dados de segurança da CoronaVac foram publicados em agosto de 2020

O programa Bem Viver desta terça-feira (19) adentra o leque de dúvidas diante da aprovação do uso emergencial de duas vacinas contra a covid-19 no Brasil. A liberação foi feita no último domingo (17) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Algumas capitais brasileiras já iniciaram a imunização com o público prioritário de profissionais de saúde e população indígena. Para tanto, o Bem Viver propõe um olhar para a Campanha Nacional de Vacinação diante das necessidades e desafios pela frente.  

:: Governo admite que sabia da falta de oxigênio oito dias antes do colapso em Manaus ::

O programa atualiza as informações pelo país diante das doses tanto do imunizante desenvolvido pelo laboratório Sinovac, em parceira com o Instituto Butantan, quanto pelo desenvolvido pela Universidade de Oxford/AstraZeneca, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Quantidade aprovada?

O Bem Viver divulgou que estão sendo distribuídas cerca de 6 milhões de doses da vacina CoronaVac. A quantidade aprovada até agora e que está sendo distribuída representa, no entanto, apenas 1,4% do necessário para imunizar toda a população: cerca de 420 milhões de doses. 

:: Defensor de ocasião da saúde pública, Doria tem histórico de atuação contra o setor ::

Segundo Raquel Stucchi, integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e professora da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a quantidade de vacinas distribuídas aos estados deve durar três dias.

Ela ressalta que, antes de os municípios começarem a aplicar as vacinas, deve ser feito um planejamento com a quantidade disponível do medicamento de forma a garantir duas doses para cada pessoa.

:: Brasil volta a bater recorde semanal histórico de casos de coronavírus ::

“Se um município recebeu 4 mil doses, deve se programar para vacinar duas mil pessoas. Não podemos correr o risco de perder um montante grande de doses, porque intervalos maiores do que quatro semanas não são recomendados para a vacina do Butantan”, explica.

Gestante e crianças    

O Plano Nacional de Vacinação ainda não tem uma resposta definitiva sobre qual é a situação da imunização para grávidas e crianças. Esses dois públicos não participaram dos testes das vacinas desenvolvidas no Brasil. 

:: "É difícil entender que ele morreu", diz jovem que perdeu pai para covid no Amazonas ::

Por isso, ainda não há estudos conclusivos sobre a possibilidade de efeitos adversos para mulheres grávidas, por exemplo. Sobre o tema, o Bem Viver entrevistou o biofísico Rômulo Neris, integrante da equipe Halo, uma iniciativa global incentivada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para ajudar no desenvolvimento de vacinas. 

:: Cronograma falso de vacinação circula pelas redes sociais e aplicativos de mensagem ::

O entrevistado aproveitou para ratificar a eficácia da CoronaVac em tempo de fake news e desinformação massiva.  

"A CoronaVac é segura. Os dados de segurança da CoronaVac foram publicados em agosto de 2020. Qualquer um pode entrar no site. Esses dados já passaram por avaliação e não têm nenhuma inconsistência", assegurou.

Enem

A questão da pandemia também permeou duas pautas sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O tema da redação do último domingo (17) entrou na conversa com o psicanalista Christian Dunker, professor titular do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP).

:: Prouni divulga nesta terça-feira (19) lista de aprovados na primeira chamada ::

O docente elogiou a escolha do tema “o estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”, ao defender a possibilidade de ser desenvolvido por diferentes áreas do conhecimento. 

"As doenças mentais são uma invenção da Idade Moderna. É quando se associa a doença mental à perda da razão", explica. "Isso levou a loucura a ser considerada um problema que exige métodos de contenção, muitas vezes coercitivos e agressivos, e a desconsideração do louco como um sujeito de pensamento", completa Dunker.

:: Enem no escuro: queda de energia prejudicou e aglomerou candidatos em Pernambuco ::

Ao mesmo tempo, o programa também explicou os procedimentos que podem ser feitos por estudantes que não conseguiram participar do primeiro dia do Enem 2020, neste domingo (17), devido a doenças infectocontagiosas. A reaplicação das provas será feita em 23 e 24 de fevereiro de 2021.


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: SpotifyGoogle PodcastsItunesPocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Daniel Lamir