Tecnologia e saúde

Doação de órgãos agora pode ser autorizada pela internet

Novo sistema foi lançado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com cartórios de todo o país

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Informação ficará registrada em uma base de dados disponível aos profissionais de saúde - Foto: Elza Fiúza/ABr

Uma ferramenta digital para registro de autorização de doação de órgãos foi lançada nesta terça-feira (2) e já está disponível para toda a população maior de 18 anos. A iniciativa é uma parceria entre o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Colégio Notarial do Brasil e compõe a campanha "Um Só Coração: seja vida na vida de alguém".

Continua após publicidade

Por meio de um formulário eletrônico, as pessoas interessadas protocolam o desejo de entrar para a lista de potenciais doadores e doadoras. As informações são repassadas ao cartório de notas selecionado. A manifestação de vontade é gravada por videoconferência e as assinaturas são colhidas digitalmente.

Continua após publicidade

A partir daí, o dado fica disponível para consulta a profissionais do Sistema Nacional de Transplantes. A ferramenta permite a escolha de qual órgão  será doado, entre medula, intestino, rim, pulmão, fígado, córnea, coração ou todos.

Continua após publicidade

:: Brasil tem maior sistema público de transplantes do mundo, mas ainda enfrenta obstáculos ::

Continua após publicidade

Todo o processo é gratuito e pode ser realizado pelo site www.aedo.org.br. Os objetivos principais da iniciativa são agilizar e ampliar as doações no Brasil. Hoje, mais de 42 mil pessoas aguardam por um transplante. Em 2023, três mil óbitos poderiam não ter ocorrido se houvesse disponibilidade de órgãos.

A plataforma de registros não substitui, no entanto, a vontade da família. Por lei, a doação no Brasil precisa ser autorizada por familiares da pessoa falecida. O site do CNJ disponibilizou um tira dúvidas com mais detalhes sobre essa e outras questões. Acesse aqui.

Edição: Nicolau Soares