preservação

Contra política ambiental de Bolsonaro, Noruega congela repasses ao Fundo Amazônia

País europeu já doou R$ 3,2 bilhões e é responsável pela maior parte dos recursos do Fundo, desde sua criação, em 2008

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Ministro Ricardo Barros chamou noruegueses de hipócritas. Bolsonaro mandou Angela Merkel reflorestar Alemanha. / Foto: Marcos Correa / PR

A gestão de Jair Bolsonaro (PSL) perdeu mais um aliado do Brasil na preservação da Floresta Amazônica. Após a Alemanha congelar repasses ao Fundo da Amazônia, a Noruega anunciou nesta quinta-feira (15) o bloqueio de um repasse de R$ 134 milhões. O país nórdico é o maior financiador do Fundo criado em 2008, tendo sido responsável por 94% dos R$ 3,4 arrecadados até hoje.

O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, explicou que a decisão foi tomada após o ministério do Meio Ambiente extinguir o Comitê Orientador do Fundo Amazônia (Cofa) e centralizar as decisões sobre aplicação dos recursos.

O ministro Ricardo Barros planeja ainda reduzir o número de conselheiros de 24 para sete, priorizando o governo federal na composição e excluindo representantes da sociedade civil.

A Noruega entende que a manobra do governo brasileiro compromete a transparência e a eficiência do Fundo. "Eles não poderiam fazer isso sem um acordo com a Noruega e a Alemanha", declarou o ministro Elvestuen.

Devastação da Amazônia

Durante os primeiros meses da gestão Bolsonaro, a destruição da maior floresta tropical do mundo tem batido recordes.

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostraram que as áreas com alerta de desmatamento na Amazônia aumentaram 278% em julho deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2018. Em junho, o aumento foi de 88%.

Empoderados pelas declarações do mandatário contra as políticas de preservação da Amazônia, fazendeiros paraenses promoveram um "dia do fogo" ao longo da BR-163, no sudoeste do Pará.

No sábado (10) a principal cidade da região, Novo Progresso, teve 124 registros de focos de incêndio, aumento em 300% em relação ao dia anterior. No domingo, foram 203 casos. Outra cidade bastante atingida foi Altamira, com 194 casos no sábado e e 237 no dia seguinte.

“Precisamos mostrar para o presidente que queremos trabalhar e único jeito é derrubando", afirmou um dos organizadores a um jornal local.

Governo faz chacota

O ministro do Meio Ambiente Ricardo Barros atacou a atitude da Noruega durante audiência pública no Senado, na semana passada, chamando noruegueses de hipócritas por questionarem a permissividade do governo Brasil em relação à destruição da floresta enquanto, segundo Barros, permite a exploração de petróleo no Ártico e a caça de baleias.

Na quarta (14), o autointitulado "capitão motossera", Jair Bolsonaro, também diminuiu a importância da ajuda alemã. "Eu queria até mandar um recado para a senhora querida Angela Merkel, que suspendeu US$ 80 milhões para a Amazônia. Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok? Lá está precisando muito mais do que aqui", afirmou o mandatário.

Edição: Rodrigo Chagas